segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Dar ou Não Dar? Eis a questão...

A questão da vacina da gripe A não é nada fácil. O Miguel, como transplantado, pertence ao Grupo A, ou seja, o primeiro grupo prioritário a receber a vacina da gripe, uma vez que tem o sistema imunitário suprimido.

No entanto, por cada notícia animadora, aparece outra contraditória... A cascata de informação é constante e muito confusa. Julgo que não deveria caber a nós, simples cidadãos, com pouca ou nenhuma formação científica ou em saúde, decidir relativamente a este assunto tão importante. No entanto, mesmo aqueles que têm formação científica ou em saúde parecem não se entender... O que nos deixa numa situação bastante desconfortável. Ainda para mais, quando se trata de decidir sobre a saúde de um filho, cuja única posição é "picas, não!!"

No entanto, em vez de me deixar levar em teorias da conspiração e outras que tais, tenho procurado encontrar justificações que suportem a minha inclinação natural, que é a de confiar na ciência. Posso estar a ser parcial, mas o meu foco agora tem sido em encontrar os argumentos pró-vacina, pois acho que só isso é que é racional (sem desprimor para as restantes opiniões, que respeito, porque não existem verdades absolutas!).

  1. Vários médicos têm recomendado a vacina ao Miguel, desde o seu nefrologista actual, a sua nefrologista pediátrica e o pediatra normal. São 3 pessoas que conhecem bem o Miguel e o seu estado de saúde, e em quem eu confio... torna-se difícil contrariá-los...
  2. O próprio nefrologista actual, bem como a Prof. Helena Jardim, que muito estimo, deram o exemplo e avançaram com a vacina em si próprios.
  3. Conheço pessoas noutros países, nomeadamente EUA e Suécia, que decidiram vacinar os seus filhos, quer com problemas de saúde semelhantes, quer outros problemas, quer saudáveis.
  4. As autoridades de saúde reputáveis (e não freiras espanholas, filmes obscuros, paranóicas filandesas, etc. que não conheço de lado nenhum e nem sei se existem), recomendam a vacina, nas suas mais diversas versões. As autoridades de saúde a que me refiro são o Infarmed, a DGS e o Ministério, a Organização Mundial de Saúde, a Agência Europeia do Medicamento, etc.
  5. Já tem havido casos de gripe próximos de nós e nunca sabemos quando nos vai bater à porta...
  6. Esta gripe, apesar de ligeira na maioria dos casos, tem tido algumas nuances pouco normais, afectando gravemente algumas pessoas que à partida, teriam boas condições de a combater. Ou seja, é um bocado imprevisível saber quem é que vai ter complicações!
  7. Hoje li este comunicado do Infarmed, que responde à minha última preocupação: http://www.infarmed.pt/portal/page/portal/INFARMED/MAIS_NOVIDADES/DETALHE_NOVIDADE?itemid=2230190
  8. Tal como diz o Ricardo Araújo Pereira, já cansa esta filosofia do "pânico"... Houve o pânico da gripe, o pânico do Tamiflu, o pânico da vacina. Agora, que só se recomenda ben-u-ron, ainda ninguém se lembrou do pânico do ben-u-ron.... É que o ben-u-ron também pode matar e até é nefrotóxico. É tudo uma questão de bom senso e de doses!

Agora, se gostava que a vacina tivesse sido mais testada? Gostava. Se gostava de poder esperar mais tempo e ver como mais pessoas reagem à vacina? Gostava. Se gostava que houvesse uma vacina mais específica para crianças? Gostava. Também gostava de poder passar sem a vacina, mas disso não tenho certezas.

Por tudo isto, está para breve a primeira dose da vacina contra a gripe A no meu querido filho Miguel!

5 comentários:

Anónimo disse...

I had my first vaccine (Pandemrix is the one given up here in Sweden) 2 weeks ago and had no side effects at all but a sore arm & a dry mouth a couple of days after.
B&E got the same vaccine this past Friday & have only had the same symptoms, plus a slight temp (37,5C).
It's a tough descision, but I hope we've made the right one...

Marta Campos disse...

Hi Nyree!

Thank you so much for your comment! Pandemrix is the one used in Portugal as well... Did you notice I mentioned you in my post? ;) Again, thank you so much for sharing your experience with this very same vaccine!

Anónimo disse...

Yep, the "Sweden" part stood out! ;)

There's been lots of talk here too about pro's & con's, but eventually I just decided to trust in science rather than media trying to sell extra editions...

Ana disse...

Olá Marta!
Tenho sentido o mesmo problema: devo fazer a vacina?
Ao falar com o nefrologista (que também é o do Miguel...) fui aconselhada a fazê-la, pois os "prós" seriam superiores aos "contras".
Já entreguei a declaração e aguardo a "convocatória".
Espero ter tomado a melhor opção.
Um grande bejinho e tudo de bom para o Miguel!
Ana Cristina

Vanda Ferreira disse...

Gostei muito da tua ilustração do problema :-)
Tou no mesmo pé que tu e concordo com tudo o que disseste.
Agora também já está, embora fique sempre a dúvida: espero ter tomado a melhor decisaão :)